Segunda-feira, 14 de Agosto de 2006
NATUREZA 01

 

Pela Serra do Caramulo

Entre fontes termais já utilizadas pelos Romanos e encostas cobertas de uma vegetação que levou à criação de uma reserva botânica, a Serra do Caramulo convida ao repouso e é local de purificação de corpo e espírito.

 

"A aproximação da realização da segunda reunião com os representantes do Ministro das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, marcada para o próximo dia 16 de Abril, leva-nos a questionar que expectativas temos para a mesma.

Como oportunamente a Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública divulgou em comunicado dirigido aos Vigilantes da Natureza, muito pouco de concreto foi possível alcançar na primeira reunião o que, das duas uma, pode evidenciar uma estratégia deliberada de fazer passar o tempo sem que nada de objectivo resulte das negociações, ou pode significar que faltou ao MCOTA a definição das linhas de actuação no processo em que diz querer estar envolvido.

Ainda que com cepticismo, aceitámos marcar uma segunda reunião, onde questões e propostas muito mais concretas deverão ser debatidas: FORMAÇÃO PROFISSIONAL e UNIFORMES.

O cepticismo que temos, resultado de muitos contactos infrutíferos, de muitas reuniões frustradas, de promessas mil, de silêncios prolongados e de indiferenças perante problemas constantes, pode esbater-se se o MCOTA demonstrar inequivocamente a sua vontade de dar resposta às reivindicações apresentadas e que no essencial têm a ver com a necessidade de melhorar as condições de trabalho dos Vigilantes da Natureza.

Como todos sabemos, os "ventos" não estão de feição para os trabalhadores da Administração Pública, nem para as funções sociais que o Estado deve desempenhar - a preservação do Ambiente e da Natureza é uma delas(!).

Logo, são de esperar dificuldades mil até vermos concretizadas as aspirações que temos. Tal como aconteceu com o processo de negociação do Decreto-Lei nº 470/99(Regime de Trabalho dos Vigilantes da Natureza).
Ou já nos esquecemos que por três vezes iniciámos o processo e o vimos abrupta e injustificamente interrompido pelo Ministério do Ambiente?

Desistimos na altura? Não!

Ganhámos forças, voltámos a lutar e a negociar. O resultado acabou por aparecer.

Se não fosse assim, teríamos tido ocasião de ver o 470/99 aprovado, com o conteúdo que o mesmo tem, favorável aos Vigilantes da Natureza?

Claro que não!

Daí a necessidade de, em forte unidade, com muito empenho e persistência, darmos continuidade a este processo."


Rui Raposo, rraposo@fnsfp.pt
Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública
Responsável pelo Grupo de Trabalho dos Vigilantes da Natureza

P.S.: Entretanto, após se ter recebido este artigo, o MCOTA mais uma vez adiou a reunião marcada, a qual passou para dia 21/04. Vamos a ver se realmente vai acontecer!

Sexta-feira, Abril 09, 2004

Presidente da República Portuguesa, Dr. Jorge Sampaio, convida representantes de Vigilantes da Natureza para visita a Áreas Protegidas

Por convite do Exmº. Senhor Presidente da Republica, a Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza, como única entidade associativa e representativa de Vigilantes da Natureza, legalmente constituída, vai acompanhar a visita que o Sr. Presidente vai efectuar ao Parque Natural do Tejo Internacional.

Irá tentar sensibiliza-lo para os graves problemas que os Vigilantes da Natureza enfrentam assim como tentar obter o seu apoio para que os mesmos se resolvam!

È um convite que muito nos honra e que esperamos ser frutífero, constatando-se pois que também à Presidência da Republica já chegou a informação da situação problemática que os Vigilantes da Natureza enfrentam, mas também a de que os Vigilantes da Natureza, após 30 anos de existência e de outros tantos de trabalho de campo, bastantes e fiáveis informações podem dar sobre o estado actual da conservação da natureza e da preservação do meio ambiente, assim como dos resultados que após estes anos todos foram obtidos!

Esta divulgação dos Vigilantes da Natureza, das suas actividades, dos seus problemas e da importância da sua existência, deve-se principalmente ao esforço permanente de dois deles, o Francisco José Semedo Correia do ICN e o Nuno Jorge Roque Cardoso da CCDR-Centro.

Debate sobre florestas e incêndios florestais!

Tendo sido pedido a contribuição dos Vigilantes da Natureza para este debate em 31/03/2004, esperando que tal já não seja tardio, aqui fica o Blog onde o mesmo se passa http://bioterra.blogspot.com/, pelo que se sugere a participação de todos os interessados, que sabemos muito terem a dizer sobre esta questão.

Cópia da mensagem recebida:

Caro Nuno Roque, Sou colaborador do blog Ambientalistas,
http://www.ambientalistas.blogspot.com/
Convido-o ao debate que estou a abrir no meu blog sobre incendios florestais e floresta: problemas/reflexões,etc. em http://bioterra.blogspot.com/.
Mais tarde terei muito gosto de falarmos sobre a água.
Com o tempo espero saber como se processa as likagens para colocar o vosso IMPORTANTE blog!!
Cordialmente,

João Paulo Soares
"No novo Contrato Social, o trabalho humano tem de saber partilhar a actividade do mundo com o trabalho da Natureza." de Prof. Boaventura dos
Santos in Reinventar a Democracia,2002

Um problema que a Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza rápidamenre tem que resolver, a bem de todos nós!

Olá mais uma vez!
Cá vai mais um contributo para o nosso blog.

Só queria deixar aqui registado, e uma vez que se fala muito da união dos Vigilantes da Natureza, que uma vez mais não percebo porque existe uma Associação de Guardas e Vigilantes, senão para defender a união e interesses destes!

Como tinha escrito neste blog, no seu início, eu e mais 2 colegas enviámos propostas para associados da referida associação em Fevereiro de 2003 e nunca vimos qualquer resposta.

Quando perguntámos o porquê de não haver resposta, foi-nos dito que a folha de proposta para novo associado não teria nenhum associado proponente, bem como a falta de pagamento a anexar a essa folha não existia e por esse motivo não tinham registado a nossa entrada como sócios.

Pois bem... não me agradou de modo algum a resposta, em relação ao pagamento, pois se não sabiamos ainda se iríamos ser aceites, como poderíamos efectuar tal pagamento?!?

Adiante... resolvemos preencher essas lacunas, enviando novas folhas de associado, com cheque em anexo para pagamento da jóia de inscrição em e com um Vigilante da Natureza já sócio subscrevendo a proposta para a nossa integração como sócios.

Qual é o meu espanto (ou não) que passado mais de um mês deste novo envio não obtivemos qualquer tipo de resposta!!!

Sinceramente não entendo! Será por pertencermos às CCDR's, já que não está ninguém na direcção pertencente às CCDR's? Será que têm medo de novas ideias? Ou será que simplesmente ignoram as outras vozes dos Vigilantes?

Alguém tem uma resposta para dar?

25/03/2004,
Pedro Duvalle, duvalle@guiaviseu.com
Vigilante da Natureza, CCDR-Centro

Em Portugal, segundo "inteligentes pensadores", a pesca e a caça nada têm a ver com a Conservação da Natureza, mas que pelo menos sigam bons exemplos!

Para alem do chumbo que se usa na pesca, com muitos milhares, mesmo milhões de praticantes e consequente dispersão de milhares de quilos desta substância na água dos nossos rios, durante as centenas de dias de pesca existentes em um ano, também o seu uso na caça è extremamente preocupante!

Se fizermos umas contas muito simples, contabilizando os cerca de 300.000 caçadores, as dezenas de dias de caça e tiro aos pratos, os milhões de cartuchos gastos usando chumbo, podemos chegar á terrivel conclusão de que todos os anos muitas toneladas deste perigoso metal são dispersas pelo solo e água de Portugal, o que leva de certeza ao aparecimento de graves doenças.

Assim torna-se urgentemente necessário mudar esta situação, seja alterando o conteúdo dos cartuchos e do metal de que são feitos os pesos usados na pesca, seja também pela IMPLEMENTAÇÃO DE UM IMPOSTO ESPECÍFICO DE FINANCIAMENTO DO TRATAMENTO DE PESSOAS QUE SOFRAM DE DOENÇAS EVENTUALMENTE ORIGINÁRIAS PELA INGESTÃO INDIRECTA DE CHUMBO!

"Universidade paulista cria "chumbada ecológica"

A preservação da água é a tônica deste século. Embora tenhamos grande oferta do recurso - cerca de 10% de toda a água doce do planeta está no Brasil, já começamos a ter graves problemas localizados, causados principalmente pelos desmatamentos nas nascentes, nas margens dos rios e pela contaminação por diversos poluentes.

A consciência preservacionista tem na pesquisa científica e tecnológica um forte aliado, com o incremento de processos e materiais não poluentes. Exemplo disso é a criação de “chumbadas ecológicas”, desenvolvidas no Liec - Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica, integrado por pesquisados da UFScar - Universidade Federal de São Carlos e do Instituto de Química da Unesp - Universidade Estadual Paulista, de Araraquara. O produto já está no mercado, pela Tecnicer, empresa de São Carlos.

Na fabricação das "chumbadas ecológicas" são empregados materiais como argila, areia e pó de pedra, os quais são biocompatíveis com o fundo dos rios e lagos, em substituição às tradicionais de chumbo, que contaminam a água e os peixes. Na composição química das chumbadas cerâmicas entram 30% de alumina, 45% de sílica, 15% de ferro e 10% de cálcio.

A empresa fornece o novo material para pesca por quilo ou em cartelas com 150 a 200 gramas, com folder institucional. Segundo a empresa, a aceitação no exterior tem sido boa.

Devido à diferença de densidade, as chumbadas cerâmicas precisam ser maiores que as tradicionais de chumbo, o que não impede que sejam usadas da mesma forma, com a vantagem de, por serem maiores, não enroscar nos mesmos lugares que as menores feitas de chumbo. As chumbadas cerâmicas perdidas no fundo de rios e lagos deterioram-se mais rapidamente, não contaminando a água e o solo.

Como todo metal pesado, o chumbo degrada-se muito lentamente no meio ambiente, persistindo durante décadas no solo e no fundo de rios, lagos e represas. Não é metabolizado pelos animais e sofre o processo de bioacumulação, afetando mais os animais do topo da cadeia alimentar, entre os quais está o homem.

O chumbo é comprovadamente carcinogênico (causa câncer), teratogênico (causa malformações estruturais no feto, baixo peso e/ou disfunções metabólicas e biológicas) e tóxico para o sistema reprodutivo (causa disfunções sexuais, aborto e infertilidade). A presença de quantidades elevadas de chumbo no sangue está relacionada a problemas neurológicos, com a falta de concentração e dificuldades na fala.

De um modo geral, os compostos de chumbo são nocivos para os animais. O efeito da absorção do elemento nas plantas não parece grave. No entanto, estas acumulam chumbo, que será absorvido pelos animais em caso de ingestão. Por essa razão não se utilizam compostos de chumbo em pesticidas ou inseticidas.

O chumbo e o seu sulfato são muito pouco absorvidos, considerando-se praticamente inócuos. No entanto, os sais solúveis, o cloreto, o nitrato, o acetato etc, são venenos muito ativos. As principais causas de intoxicação são desconforto intestinal, fortes dores abdominais, diarréia, perda de apetite, náuseas, vômitos e cãibras.

Notícias

 

Os Sobreirais da Serra Algarvia no contexto do Desenvolvimento Rural

 

Falar dos Sobreirais na Serra Algarvia obriga a compreender a história de Portugal, a sua economia e os seus principais momentos político-sociais. A situação em que se encontram exige uma atenção especial, sob pena de desaparecerem no futuro próximo.

NaturCV – A ligação aos profissionais de ambiente e gestão de recursos naturais

 

O portal Naturlink lançou com o portal Empregos.Online uma plataforma de alojamento e pesquisa avançada de curricula de profissionais da área do Ambiente e Gestão de Recursos Naturais, que queremos tornar um sítio-chave para o sector.

A foca das águas quentes

 

As focas-monge são as únicas que ocorrem em território Português. Animais notáveis, sofreram um imenso declínio populacional que as tornaram numa das 10 espécies de mamíferos mais ameaçadas do Planeta.

Proteger a Terra conhecendo outros Planetas

 

O conhecimento de outros planetas, principalmente quando nos referimos aos seus sistemas atmosféricos e geológicos, tem contribuído para a descoberta e compreensão de fenómenos prejudicais ao ambiente terrestre.

Despoluição do troço final do Rio Douro - vicissitudes de um mega projecto ambiental

 

O troço final do Rio Douro está a ser objecto de um mega projecto de despoluição. Porém, surpreendentemente, verifica-se que se está a agravar o problema da contaminação das águas com sais minerais, contribuindo para a eutrofização da zona estuarina.

Eventos

 

Curso de iniciação à observação da Natureza

 

3 a 5 de Outubro de 2006 (Barrancos) - A ERENA em colaboração com o Parque de Natureza de Noudar vai realizar o Curso de iniciação à observação da Natureza, que se divide pela Observação de Aves, Observação da Flora e Astromonia, ao longo de 3 dias.

Pós-Graduação em Ecologia, Ambiente e Território

 

2006 - 2007 (Porto) - Pós-Graduação da Faculdade de Ciências do Porto - iniciação à investigação e preparação científica.

Exposição Trilobites gigantes de arouca

 

De 28 de Julho a 28 Novembro 2006 (Lisboa) - a Exposição exemplares únicos destes invertebrados do Paleozoico de grande interesse paleontológico e paleoecológico vai estar no Museu Geológico de Lisboa.

Diversidade de microorganismos muito superior ao que se esperava

 

Com uma nova técnica de identificação de microorganismos na análise de amostras de água do mar superou-se todas as actuais estimativas para a diversidade destes em 10 vezes.

Crise Ambiental no Líbano

 

Os bombardeamentos de Israel a uma central eléctrica do Líbano danificaram os depósitos de combustível e provocaram uma grave maré negra, equivalente às provocadas por acidentes de petroleiros.

Pão Panda promove Campanha de Verão

 

Coleccionar pontos Panda é o novo desafio que a Prodite Zeelandia coloca aos mais pequenos para que possam receber uma Bola de Praia Pão Panda e ajudar o WWF na reflorestação em Portugal.

Consultor do Ambiente – veja as suas dúvidas respondidas!

 

O portal Naturlink reactivou e remodelou o serviço Consultor do Ambiente, passando a contar com uma rede de mais de duzentos técnicos e investigadores da área do ambiente e gestão de recursos naturais para responder às suas questões. Aproveite!

Pesquisa Naturlink – em busca da natureza

 

Com o crescimento diário do portal Naturlink, estamos a criar uma extensa base de informação ambiental, cujo rápido acesso cremos ser útil para muitos cibernautas. Criámos um motor de busca que disponibilizamos gratuitamente aos sites que o desejem.

Opinião

 

Os produtos com qualidade diferenciada e a segurança alimentar

 

A protecção eficiente de nomes de produtos e de modos de produção que podem ser diferenciados e valorizados comercialmente, pode criar condições para a manutenção de actividades agrícolas que, de outra forma, apenas os subsídios poderiam manter.

Exóticas e Invasoras

 

A invasão de um habitat por espécies exóticas, pode ser um dos principais factores de ameaça do ecossistema aí existente. A Prof. Helena Freitas, ex-Presidente da LPN, faz uma reflexão sobre este grave problema de conservação da Natureza.

Pecuária Biológica – uma alternativa viável

 

A agricultura biológica é um dos sectores agro-alimentares em maior crescimento em Portugal e na Europa. A combinação de preocupações ambientais, de bem-estar animal e segurança alimentar, fazem da pecuária biológica uma actividade muito particular.

Constituída por uma equipa jovem e dinâmica, a LANDS actua de forma inovadora e experiente na área do Turismo na Natureza, da Educação Ambiental, da Formação Vivencial em Outdoor e da Organização de Eventos e Incentivos.

Navegue por este site e conheça as nossas melhores soluções nas diferentes áreas.

Com os nossos melhores cumprimentos,
A Equipa LANDS

O Sul de Portugal, e em especial o Algarve, é uma região de mil encantos dominada por uma grande variedade de habitats que lhe conferem uma singularidade única em termos de fauna e flora. Situada no extremo Sudoeste da Europa, esta região é caracterizada por zonas de planícies douradas, de serras que podem ir aos 900 m de altitude, um litoral com praias de águas calmas na costa sul e de águas mais revoltas na costa oeste e ainda uma sub-região intermédia e muito particular – o barrocal. Esta diversidade geográfica, associada a um clima ameno com influências mediterrâneas e atlânticas, faz com que seja um dos locais ideias para desenvolver Actividades na Natureza durante todo o ano.

A Lands convida a partir à descoberta de um Algarve escondido e envolto numa beleza e mística que poucos têm a oportunidade de conhecer através da observação de aves, de um percurso pedestre ou de uma rota temática.




publicado por cm30ativo às 10:54
link do post | comentar | favorito

blogs SAPO
mais sobre mim
posts recentes

PRESERVA AMBIENTAL

INSTITUTO DA AGUA 1

NATUREZA 7

NATUREZA 06

NATUREZA 05

NATUREZA 04

NATUREZA 03

NATUREZA 02

NATUREZA 01

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30
31